domingo, 4 de julho de 2010

A Casa dos Marcos RARÍSSIMOS


Por razões de ordem profissional, há já algum tempo que conheci e tenho vindo a interagir com a associação de doentes “Raríssimas”.
Nesta associação confluem pessoas que carregam consigo as chamadas “Doenças Raras”, assim designadas por atingirem um número muito reduzido de pessoas em todo o mundo. São muitas e diversas estas doenças.
O coração que bombeia vida nesta associação é a Dra. Paula Brito e Costa, mãe de uma criança com uma doença rara, o Marco, que tendo partido há já algum tempo deixou vivo na mãe o seu maior sonho: a construção de uma escola onde ele pudesse viver com os outros meninos raros como ele.
No passado dia 1 de Julho tive o privilégio de estar presente na Moita, na cerimónia de lançamento da primeira pedra deste sonho, designado legitimamente “A Casa dos Marcos”, um edifício que dentro de algum tempo albergará o sonho de mais de 100 Marcos raros, num projecto que confirma que quando confluem as vontades de público e privados, o mundo avança mesmo.
No rebuliço mediático deste evento, não pude deixar de pensar como continua a ser importante ir atrás dos sonhos e de como a garra e o querer fazem a diferença na hora de os concretizar.
Num mundo que cultiva a perfeição e menospreza sistematicamente “os diferentes”, este projecto é a prova de que todos, mas mesmo todos, somos de ter em conta e de que até os “raros” têm a possibilidade de nos dar lições que nós, por mais anos que vivamos, jamais seremos capazes de dar a alguém.A riqueza da pessoa humana vem da diversidade e havendo o respeito por todas as diferenças, o universo seria por certo um local bem mais agradável para se viver.

Sem comentários:

Enviar um comentário