domingo, 14 de outubro de 2012

Ana e Ricardo


As pedras do caminho alcatifam-se pela força e pela gana que fazem galgar todas as muralhas e abrir de par em par os guarda-ventos das barrocas talhas, para na festa da gente airosa e perfumada, famílias e amigos vestidos de sorrisos, chegar ao cume, ao pico onde há séculos os ritos celebram a fé, e onde basta um despojado Sim para dizer Amor.
Alvas e rubras são as flores que a cor e perfume nos apontam o caminho.
Alvas e rubras, Paz e sangue de Vida, indissociáveis ou pleonasmos reforços do real e intenso Amor.
E o físico repicar dos sinos, que prolonga e amplia o Sim, faz eco planície fora, desta indescritível química do riso profundo de almas em festa.
Olho para o lado, e vejo a Luísa a chorar.
Recordo-me das noites longas da nossa amizade e da festa de partilhar a fé quando jurávamos a certeza de um futuro de dias diferentes e bons.
A vida, hoje, fez-nos compadres.
Cúmplices, nas mãos cheias de pétalas e arroz, estamos mais do que nunca, nesta solarenga tarde de Outono, a cumprir a jura de um dia nascido para, por especial e bom, jamais esquecer.
A Ana e o Ricardo casaram ontem na Igreja do Alandroal e eu e a minha amiga Luísa, juntamente com a Tânia e o Pedro, fomos os seus padrinhos.
Felicidades aos noivos e… viva o Amor.

2 comentários:

  1. Sim o Amor é lindo, é uma química e viva o Amor para quem o tem porque infelizmente há muita gente que não tem.

    Beijinhos gostei
    M. Pereira

    ResponderEliminar
  2. O fantástico da vida é estar com alguém que sabe fazer de um pequeno instante um grande momento…
    Rui pereira

    ResponderEliminar