sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Viva a República!


A bem da produtividade e como parte do nosso processo contínuo de “gerrmanização”, celebramos hoje pela última vez a implantação da República como feriado nacional.
Para o ano, para além da República a 5 de Outubro, deixamos também de celebrar com feriado a festa móvel do Corpo de Deus, Todos os Santos, a 1 de Novembro, e ainda a Restauração da Independência a 1 de Dezembro.
Permanecerão feriados, a Fraternidade Universal a 1 de Janeiro, a Sexta-feira Santa da Paixão de Cristo, a Liberdade no 25 de Abril, o Dia do Trabalhador a 1 de Maio, Nossa Senhora da Assunção a 15 de Agosto e Nossa Senhora da Conceição a 8 de Dezembro, para além do Natal a 25 de Dezembro.
Não sei se esta selecção foi estratégica ou um acaso, mas que o resultado está carregado de lógica e se adequa à nossa real situação de país de cabeça para baixo, lá isso está.
Vejamos:
- Da Fraternidade Universal que recebemos dessa coisa chamada Troika, se fez o caminho para o nosso calvário, numa permanente Sexta-feira Santa, que nos feriu definitivamente a Liberdade e nos colocou nesse estatuto de trabalhadores inesgotáveis, a trabalhar mais e mais barato, todos os dias. Só nos resta pois reunir todas as evocações de Nossa Senhora, desde a sua Conceição até à sua Assunção, para que pelo menos, e quando o banco nos levar a casa por falta de pagamento, possamos ir passar o Natal num casebre, aquecidos por um burro e uma vaca.
Por outro lado:
- A Independência já se foi e levou a República com ela. E estamos num estado tal que nem Deus e nem Todos os Santos juntos, nos livram deste estado, de finados, e sem hipótese de Restauração.
Brincadeiras e trocadilhos à parte, sejamos fortes e endireitemos as nossas bandeiras em todas as fotos, que é como quem diz, ponhamos os políticos a fazer o pino e a mergulhar de cabeça para baixo, no vazio já antes testado pelos infiéis à pátria, noutros tempos e noutros regimes.
Viva Portugal.
Viva a República.

1 comentário:

  1. A proclamação da república é um dos fatos mais marcantes de nossa história.
    Mas acabar com o 5 de Outubro com a nossa bandeira de cabeça par baixo , fica também na nossa historia
    E uma vergonha para os políticos
    VIVA PORTUGAL VIVA A REPÚBLICA
    RUI PEREIRA

    ResponderEliminar