domingo, 30 de outubro de 2011

Alpendres, orgasmos e … vinho verde

Estimulado por uma excelente imitação do actor Manuel Marques no programa Estado de Graça, não resisti a espreitar por esse cyber buraco da fechadura que é o YouTube, entrando por escassos momentos no mundo até então para mim desconhecido que é a Casa dos Segredos, verdadeiro “Estupidiário”, onde se encontram em cativeiro alguns exemplares da estupidez nacional, que ao que parece e para grande pena nossa, não estão em vias de extinção, estando pelo contrário em grande desenvolvimento.
Com um ar feliz, super divertido e sem a mínima expressão de incomodidade, há uma concorrente que demonstra desconhecer o que é um alpendre, durante uma aula de geografia em que lhe entregam um globo terrestre para o qual ela olha com o mesmo ar inteligente com que um jerico mira um palácio.
Saberá Deus em que outros globos ou bolas se empenhará ela em mexer com mais assiduidade e gosto!
Mas esta Miss Alpendre 2011 não é exemplar único e descobre-se mais tarde que todos os presentes nesta residência que tem paredes de vidro que são uma montra para Portugal inteiro, enfermam da mesma falta de cultura geral de nível mais do que básico.
A excepção é mesmo quando se fala de sexo, porque aí meus amigos e perante tantas lições de sapiência, o estúpido sou eu.
Após um brevíssimo trabalho de campo feito de contactos com alguns amigos que convivem de perto com estas espécies, ou melhor, que têm de conviver com elas nas suas actividades laborais de âmbito lectivo, concluo então que de facto estes seres não são excepção, são antes, a regra.
Apesar de não ter ainda obtido a respectiva comprovação cientifica, e perdoem-me por isso, sou então conduzido ao lançamento de uma teoria: por uma qualquer actividade cósmica anormal, o centro de coordenação dos organismos humanos está a passar do cérebro para os genitais.
A actividade cerebral está a sofrer uma atrofia na razão inversa da cada vez maior actividade genital, o prazer do conhecimento foi dominado pelo dos orgasmos múltiplos, intensos e variados e até as discussões e as tertúlias que tinham por base o pensamento e as reflexões, estão a ser substituídas por orgias e encontros na base do muito sexo.
Com a mesma facilidade com que antes se dizia:
- Vamos ali trocar umas impressões.
Diz-se agora:
- Vamos ali ter relações.
E até a frase “quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga” está em vias de ser corrigida para a nova versão “quando o corpo não tem juízo, até a cabeça se apaga”.
E no meio disto tudo e olhando para o titulo deste post, perguntam vocês:
- E onde entra aqui o Vinho Verde?
- É simples e é para mim pois a outra malta alinha mais em Vodka. É para pôr uma garrafinha no frio e tê-la sempre à mão.
Não há nada como refrescar as ideias e estimular a cabeça, não vá este ataque cósmico potente ter foros de doença contagiosa.
Não é que eu menospreze o sexo, mas não me dava nada jeito perder a cabeça.
Não sei se a campanha que lançaram há alguns anos permitiu que salvassem o lince na Serra da Malcata, mas inspirado na dita, proponho:
- Salvem o cérebro na cabeça dos Homens.
É que com cérebro tudo faz mais sentido. Até o sexo.

1 comentário:

  1. Que dizer, Joaquim? Eu fui alertada para algo semelhante quando a Marta colocou no FB um pequeno vídeo em que a agora denominada Miss Alpendre apontou a África como um dos países da América do Sul. Mais tarde, segundo me contaram, afirmou que a África fica a Norte de Portugal! Palavras para quê?! O que me assusta são as audiências que este tipo de programas têm, que abarcam todas as idades, sendo muitas vezes visto por crianças e pré-adolescentes, sem supervisão de adultos!

    ResponderEliminar