segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

A noite de Natal


Foi não só o frio que nos convocou para redor desta camilha onde por debaixo arde e nos conforta, uma braseira onde brilha intenso o picão que nasceu da lenha de oliveira.
Em cima da mesa há filhós, azevias, nógado, e daqui a muito pouco chegará a fumegar, um doce chocolate quente feito a partir de um saco de pó de mistura que comprámos na Pérola Calipolense.
Rimos, cantamos e pomos as mais intensas marcas de festa nos sorrisos e sobretudo nos olhares.
Obrigamo-nos a fixar no que há de mais positivo. Esta noite nasceu para ser de paz e para dela nos atestar a vida, garantindo-a em todos os dias do nosso futuro.
Não há espaço para o silêncio, e nem a televisão que ouvimos em fundo, nos impede a partilha das palavras nascidas das memórias de outras noites como esta. Quase sem que nos demos conta, estamos à mesa com todos os que partiram há mais ou menos tempo, porque a memória tem esta virtude de jamais deixar morrer todos aqueles que habitam os territórios dos nossos afectos.
O telefone não pára de emitir mensagens a provar que é necessária uma noite assim para que quebremos as reservas, soltemos os sentimentos e expressemos todo o amor que sentimos uns pelos outros.
E assim, todos os que importam, estando mais longe ou mais perto, estão presentes nesta noite como o estão na vida.
A noite far-se-á curta e amanhã, cedo pela manhã, haverá prendas desembrulhadas por entre os risos mágicos das crianças. Com independência do seu custo terão o inquestionável valor das mais perfeitas cumplicidades de coração.
Hoje é Natal.
Hoje é Natal não por haver presépios com burros, vacas ou pastores, árvores iluminadas e Bolo-rei.
Hoje é Natal porque deixámos nascer o Menino Jesus no mais íntimo de nós, e tornando-O epicentro desta fantástica festa do amor, reencontrámo-nos com a nossa essência de Homens e encontrámos o mote para uma cadeia de afectos que soltámos numa noite fria de Dezembro.

2 comentários:


  1. Melhor do que todos os presentes por baixo da árvore de natal é a presença de uma família feliz.
    Rui Pereira

    ResponderEliminar
  2. Meu muito caro amigo, eu não professo qualquer religião mas, enquanto Jesus for o treinador do Benfica, sinto a obrigação de me ligar á esta época. Feliz Natal

    ResponderEliminar