quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Os boticários


Quando com vinte e quatro anos saí da Faculdade, tive o privilégio de ir exercer a minha profissão para uma Farmácia no centro de Lisboa.
Por ser o único homem no universo de muitas mulheres farmacêuticas, soube desde as primeiras entrevistas de que me estariam destinados os Serviços Nocturnos, e assim, de repente, eu, um jovem alentejano “emigrado” na cidade, passei a dispensar saúde por um postigo muito estreito que, apesar disso, garanto-vos, era a melhor janela sobre a noite de Lisboa.
Durante quase dois anos, entre caixas de medicamentos mais ou menos urgentes, muitas seringas e muitos apetrechos para garantir o sexo seguro, saboreei esse gosto inesquecível de exercer uma profissão que se insere no âmbito do maior valor reconhecido por todas as pessoas: a saúde.
Apesar de ser um especialista na dispensa de fármacos, cedo diagnostiquei entre as receitas, as informações de toma e os trocos, que a solidão dos tristes na noite da grande cidade, é um decisivo catalisador de todas as doenças, e apesar do sono que me invadia noite fora, jamais deixei de entregar os trocos e as “caixinhas de saúde” sem o tempero de um sorriso e aquelas palavras que aconchegam uma alma solitária, mais do que os efeitos terapêuticos de substâncias farmacológicas perfeitas na sua farmacocinética e farmacodinâmica.
Sorrisos e palavras com forte efeito anti-depressivo, autênticas vacinas para evitar as noites longas no desespero da solidão.
E nesta dimensão humana com que completamos as nossas capacidades técnicas, sustentamos a transição de profissionais para o sacerdócio do melhor compromisso com o bem-estar dos outros.
A vocação ultrapassa a profissão e jamais se conseguirá traduzir por palavras, o gosto de sentir que estamos onde fazemos mais falta.
Tenho muitos amigos médicos e enfermeiros, e sei que também comigo partilham da noção deste privilégio.
Mas hoje é dia do farmacêutico, vocação, mais do que profissão, que assumo orgulhosamente.
E aqui deste “postigo” virtual não resisto a saudar todos os colegas que nos seus postigos reais cumprem a sua missão de dispensar saúde e conforto, em medicamentos, saber, mas também sorrisos e palavras.

1 comentário:

  1. Toda profissão desejada por Deus comporta uma missão, a de pôr em prática, no próprio campo do trabalho, os pensamentos e as intenções de cada um ,e tu tens esse vocação, e gosto de ajudar quem precisa de um conforto na hora certa PARABÉNS
    RUI PEREIRA

    ResponderEliminar