domingo, 13 de janeiro de 2013

Secret Story


Glória Maria da Silva Araújo.
É deputada à Assembleia da Republica eleita pelo círculo do Porto nas listas do Partido Socialista, pertence à Comissão Parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, e em 2008 participou na Comissão Interparlamentar da Segurança Rodoviária.
No passado dia 4 foi detida por uma brigada de trânsito por conduzir com 2,41g de álcool no sangue.
Ana Teresa Vicente.
Presidente da Câmara Municipal de Palmela eleita nas listas da CDU, estando impossibilitada de concorrer a um quarto mandato, requereu a reforma aos 47 anos.
O Governo da Austeridade.
O Governo que quer “reajustar” o Estado Social despedindo funcionários públicos, nomeou até final do ano, cerca de 3.500 assessores políticos, todos com ordenados muito interessantes e com um grupo de cerca de 1.500, a receber os subsídios de férias e Natal.
Escolhi apenas três exemplos recentes para ilustrar a minha convicção de que hoje a Política Portuguesa é uma verdadeira Casa dos Segredos, em que todos os “concorrentes” têm lados negros mais ou menos escabrosos, estando a sobrevivência assegurada pela arte de melhor os disfarçar iludindo o povo.
“A voz” que os move e da qual se desconhece a face, serão por certo esses famigerados Mercados, a Banca e todo o conjunto de interesses pessoais que conduzam ao altar do protagonismo e sempre com o conforto dos bolsos cheios.
A condução do programa é feita por um apresentador já em fim de carreira, um Cavaco Silva, que desprovido de bom senso e pudor, se assemelha verdadeiramente a uma Teresa Guilherme, mas sem teleponto e sem água benta.
As nomeações para sair da “casa” são também feitas pelos próprios, sempre ao ritmo das zangas de comadres e nos confessionários da exposição mediática proporcionada pelas páginas dos jornais.
Quem produz o “programa” é também quem paga as chamadas de valor acrescentado para as expulsões, leia-se IRS, IVA, IMI, etc; ultimamente todos muito “acrescentados”.
E tal como o programa original, emitido numa televisão que se diz séria, que já foi de inspiração cristã mas que agora apesar de manter a Missa e as Transmissões de Fátima, há muito expirou o cristianismo, esta “Casa dos Segredos” tem sempre o invólucro de “coisa séria”.
No Portugal de 2013 choca-me a excessiva passividade com que lidamos com a desonestidade e como assumimos normal este desajuste entre os vícios privados e as públicas virtudes, assentado sempre as nossas escolhas no “clubismo” com que assumimos os partidos, ou então na constante selecção dos menos maus.
O momento impõe que sejamos exigentes, por tudo e também e sobretudo pela legitimidade que advém do elevado preço que estamos a pagar.
Quem paga para comer lombo jamais se deve contentar com um prato de ossos.

1 comentário:

  1. Faz falta uma Teresa Guilherme no governo , para expulsar um de cada vez
    RUI PEREIRA

    ResponderEliminar