sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Se uma só vida...


Se uma só vida eu tivesse em mim talvez alguém pudesse dar-me um nome.
Mas quanto mundo cabe nos sonhos que as minhas palavras vos deixam espreitar.
A liberdade...
Virão de madrugada todas as gaivotas de Lisboa, e de mim, sim, levarão o céu para revestir a mais perfeita cidade.
Tanto azul...
Trago comigo no peito e nos sentidos, um rio de beijos de água doce, um rio sem margens.
O amor...
Quando o vivemos assim com a vida toda, somos tudo, tanto... e são tantos os nomes com que nos poderão baptizar.

Sem comentários:

Enviar um comentário