sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Trouxemos o verão para a mesa…



Trouxemos o verão para a mesa a bordo de um prato de ameixas roxas maduras; dispensámos a tão famosa meteorologia na hora de destapar com engenho o imenso cofre das palavras; fomos apagando o calor em copos de água fresca trazida da fonte…
E a vela com aromas de alfazema há muito rasgava a sombra que o ocaso tecera sobre nós, quando auscultamos pelo seu respirar que nem a noite cansa a ribeira que corre aos pés do carvalho onde o melro já se deitou porque muito cedo terá de cantar à madrugada.  
Estamos de férias no Gerês, eu e os meus pais, e quem nos vir assim de longe dirá que tirámos quinze dias para nos abraçarmos, rirmos e conversarmos; claro que por entre as cinco tomas de água bicarbonatada a quarenta e nove graus em dose medida em copos que parecem trazidos da “Montanha Mágica”.
Quinze dias sem pressas e aparentemente todos iguais.
Mas quem é que ousará chamar monótonos aos dias perfeitos onde o amor impera?
E a ribeira que nunca se cansa por entre o seu riso de água fresca.

Sem comentários:

Enviar um comentário