domingo, 5 de maio de 2013

Mãe


Aporto ao conforto do teu olhar doce que a cada chegada me fala de um amor sublime e maior do que todo o universo, esse olhar que para sempre e em tudo delimita e abençoa o espaço a que chamo a minha casa.
Abertos, os meus lábios sorriem no desenhar doce do teu nome:
- Mãe.
Enquanto os teus braços, no instinto de uma alma desprendida de si, se entregam livres aos meus e dão o mote para um beijo que me insufla vida.
O amor traduzido na incansável linguagem dos teus beijos…
Anseio louco na perturbante saudade, esta mágica hora em que tu, meu infinito e inesgotável berço de amor, me devolves a esperança e eu volto a ser menino.
O teu eterno menino, destemido cavaleiro nas incansáveis conquistas do futuro.
Dou-te a mão para seguirmos juntos, imbatíveis, confiantes, matando impossíveis e de encontro aos sonhos que a tua força transforma na mais doce e perfeita realidade.
Há perfume de rosas e garridos tons de sardinheiras em flor por sob o intenso sol da primavera.
E eu sigo...
E eu vivo…
Amando-te, mãe.

2 comentários:

  1. parabens , esta lindo um bj a tua mãe
    rui pereira

    ResponderEliminar
  2. Meu bom amigo.

    Um belo texto e deixamos sem palavras para dizer algo mais.
    Para a tua e para todas as mães um grande beijo e um abraço maior.
    Deste sempre amigo.
    AR

    ResponderEliminar