quarta-feira, 26 de junho de 2013

Poema sem uma letra

Para a festa que na vida é mel e sorte
Hora de sorrisos largos soltos no ar
Notas e letras vieram sem norte
Do Homem esperando, um feliz agrupar.

A obra parte do sonho, que nos faz o dia
Que, inspirado, o Homem torna realidade
Foi rápido então o soar da melodia
Porque às notas, o artista deu tom de verdade,

E da poesia, a palavra brotou,
Rima que à música se pudesse juntar
Mas logo nas letras, o Homem notou
Haver uma delas que estava a faltar.

Varreu-se todo o grande universo,
Dos horizontes da terra ao profundo mar
Mas a letra número três, era assaz perverso
Jamais alguém a pôde usar. 

Triste o trovador se viu então,
Não havia forma de o ultrapassar
Melodia, poema e a eterna questão
De jamais esta obra a poder… trautear. 

2 comentários:

  1. Que dizer de tão pelo poema.
    Parabéns mais uma vez e obrigado por partilhar connosco destas belezas.
    Continua a nos dar disto pois precisamos para nos animar um pouco.
    Abraço.
    AR

    ResponderEliminar
  2. sem palavras parabéns por favor força para continuar
    RUI PEREIRA

    ResponderEliminar