quarta-feira, 15 de outubro de 2014

CARLA MARIA


Pelo afecto que o envolve, qualquer simples café que tomemos juntos pela manhã, e tomamos um todos os dias antes de começar a laborar; assemelha-se em tudo a um “Breakfast at Tiffany’s”, que a Audrey é uma paixão em comum e a amizade é como os diamantes e imune a qualquer desgaste provocado pelo tempo.
E porque com amigos “A vida é bela”, nada melhor do que começar o dia no pré-café com um “Buongiorno Principessa” a que eu tomei a liberdade de acrescentar um “Atómica” pelo risco elevado de explosão de gargalhadas que por vezes resulta das nossas conversas.
Cada conversa sempre “… com vista sobre a cidade”, qualquer delas de entre as muitas das nossas viagens; ou então com vista para o simples e complicado que nos vai preenchendo os dias, para aquelas músicas que trouxemos dos melhores anos das nossas vidas, aqueles que compartimos com os “Amigos de Alex”; as conversas também com vista para a poesia, que a alma bem precisa ser afagada assim pela manhã, sobretudo nos dias de chuva que nos deixam com uma predisposição para a depressão. Nós não nascemos definitivamente para fazer uma qualquer “Serenata à chuva”.
As segundas-feiras são em geral péssimas, sobretudo as que se seguem a um “Fim-de-semana alucinante”; a vindimar na Beira Baixa, a viver uma romaria popular com ou sem procissão e quermesse; a comer algum irresistível petisco; ou tão-só simplesmente a passear e a “pousar” algures aí por qualquer recanto de Portugal, daqueles que ambos gostamos e que não estão muito congestionados.  
E os dias correm sempre bem melhor depois destes cafés com palavras e muito da vida, das nossas vidas.
Porque os dias são sempre melhores e bem mais fáceis quando são recheados pela partilha com os amigos.
A verbalização e a partilha de algo muito bom dá-lhe corpo e forma, amplia-o através do eco que o amigo lhe oferece na sua alegria; e a partilha de algo menos bom, desdramatiza-o e reduz o seu impacto, naquela inevitável palavra de desvalorização, conforto e carinho que um amigo sempre nos oferece quando as nuvens parecem querer cobrir-nos o sol.
Às vezes a vida surpreende-nos e faz-nos descobrir assim um amigo para a vida de entre os colegas que connosco partilham os caminhos do trabalho; e até de entre as pessoas do Sporting…
Mérito das cumplicidades?
Por certo que sim, mas não só, mérito seu “M’na Carla” que quer faça chuva ou sol me garante o astro-rei sempre que chego ao trabalho.
E o quanto nós multiplicamos as alegrias quando as partilhamos… o eco chega a todo o universo.
Este texto deveria ter sido publicado no dia 18 de Março, o dia do seu aniversário, mas por ser tão especial, é o único publicado num dia diferente e imprevisível.
Mas teria mesmo de ser escrito e publicado pois o “Calendário dos Amigos” ficaria amputado numa página de ouro.

Sem comentários:

Enviar um comentário