quinta-feira, 3 de abril de 2014

Amar-te

Labirinto de destinos e babel de tantas expressas vontades, o aeroporto cruza à minha volta milhares de passos e de anónimos olhares.
Sou apenas mais um na multidão que desde aqui se propõe regressar a casa ou então partir à descoberta e conquistar o mundo, quando decido parar e sentar-me a um canto discreto de onde vejo o campo que bebe do sol um fantástico tom de verde primavera.
Poucos dos que passam irão reparar que há aqui um homem repartindo o olhar entre a larga janela e o telefone que há muito pouco tirou do bolso.
E no telefone estás tu no sorriso que enviaste ainda pela manhã por entre as palavras que de ti ajudam a matar saudades nesta incómoda distância.
Tanta gente buscando “asas” para conquistar o mundo… e afinal o mundo está todo aqui e é meu, neste sorriso de um olhar carregado de paz e de tudo aquilo que a alma me diz ser o meu destino.
No silêncio e no segredo, escancara-se o relicário do diamante que vem de encontro a todos os meus sonhos: tu.
E a vida perfeita é afinal e tão-só este momento único que me ofereces.
A vida perfeita é este privilégio: amar-te.

Sem comentários:

Enviar um comentário