domingo, 6 de abril de 2014

ZÉZINHA

Zézinha, sabes que a vida às vezes ganha o tom cinzento desta estranha primavera, sem que tal como ela deixe de ter o sol a brilhar por cima das nuvens que fazem tecto aos nossos dias.
Aí na cama onde esperas por Terça-feira, tem a certeza de que a vida só faz isto às pessoas grandes e maiores, aquelas que como tu, e por sobre a dor, ainda conseguem mandar-nos flores, como fizeste esta manhã aos amigos do Face à hora do meu despertar.
Eu tenho a certeza de que tudo irá correr bem na Terça-feira, nessa hora em que a Senhora da Conceição, Mãe de todos, mas Mãe em especial de nós Calipolenses, te tiver a ti ao colo; e o bisturi for comandado por essa força invisível e poderosa das Ave-Marias que por ti e para ti andam por estas horas na boca e no coração de tantos amigos.
Lutadora, tu vais ter a força toda do universo, e lutarás por ti e por todos nós que não conseguimos imaginar os nossos dias sem o brilho imenso desse teu sorriso.
Sabes, há mais de quarenta anos que te conheço e não me recordo de alguma vez teres falado para mim sem ser a sorrir.
Vai tudo correr bem, estou tão certo disso como de o sol romper as nuvens num destes dias para nos devolver a primavera.
Fica prometido e desde já combinado que farei para ti em exclusivo um lançamento especial do meu livro. Levamos a “apresentadora” Manuela, o artista mor Zé Maria para nos rabiscar a lápis de carvão; e sentados na esplanada da Pastelaria Azul brindaremos com Tibornas debaixo daquele aroma intenso das laranjeiras em época de Páscoa, aquele aroma único que só nós de Vila Viçosa sabemos desfrutar em grande quando a brisa vem do lado do Castelo.
Zézinha, um beijo grande, sorri como sempre e confia em mim porque vai mesmo tudo correr bem.
Deixa comigo e com todos os que lerem este texto, o alimentar desta força invisível feita uma onda enorme de Ave-Marias.

Sem comentários:

Enviar um comentário