domingo, 1 de setembro de 2013

Onde estão esses dias que criámos

Onde estão esses dias que criámos
A palavras
Olhares
A desejos
Quando o persistente sonho nos libertou
Apátridas
Sonâmbulos sem olhar e sem rumo
No triste mais triste silêncio
Das pobres noites feitas de estarmos sós

Esperam por nós na fronteira do tempo
Além
Para lá da Serra
Olimpo dos ousados
Terra dos loucos
Lugar troféu da vida
Pelo amor termos tornado herói supremo
De uma história única que é só pertença de nós

Meu amor perfeito de olhos cor de mar
Poeta
Rota
Destino
Chegaremos os dois num doce entardecer de Setembro
De mãos dadas no abraço de quem ama
Para finalmente vivermos o sonho de estarmos juntos
De sermos nós

Sem comentários:

Enviar um comentário