terça-feira, 31 de março de 2015

A tua pele...


Os detalhes de um indecifrável paraíso sobrepõem-se ao perfume que ainda há pouco na Ribeira testámos na tua mão e que eu cheirei por entre pequenos beijos que denunciaram o irresistível namoro da minha pele com a tua pele.
Depois, subimos juntos a calçada até este abraço, rimo-nos como nunca… e gozámos do prazer de há tanto tempo sabermos calar os medos um ao outro.
Os nossos olhares andam agora livres e à solta, tal qual as nossas mãos; e os lábios trocam palavras de amor numa interminável desgarrada de desejo.
E tudo enquanto os braços nos prendem um ao outro e eu penso que não quero outra pele, apenas a tua pele.
Nós sabemos que o meu e o teu corpo gritavam por este instante, e foi a noite que caindo trouxe com ela esta festa de ser teu, o segredo que o melhor destino soube guardar.
E enquanto a minha mão se aparta ligeiramente do abraço e te afaga o pescoço no sítio e ao jeito de que tu gostas, eu sinto que mergulhei definitivamente no azul onde a alma se enfeita de paraíso, usufruo de todos os seus detalhes, bendigo a sorte…
E planeio jamais partir da tua pele.

Sem comentários:

Enviar um comentário