terça-feira, 6 de outubro de 2015

Todos os poetas cultivam flores



Todos os poetas cultivam flores, palavras como rosas que libertam nas tardes da cidade por entre o voo das pombas do Rossio.
Eu, com o braço direito na tua cintura e descendo o Chiado como quem se beija inteiro, levo comigo, perfeitos, os inéditos aromas dessas pétalas que o teu amor fez despontar.
É Outubro, o vento veloz rouba a água das fontes dando um brilho à calçada onde as pombas repousam atentas.
Depois, uma criança corre de repente e desassossega as asas que irrompem pelo céu, e nota-se um intenso cheiro a flores por entre este incansável redesenhar do céu.
Rosas?
O teu olhar vai ditando palavras de amor com que enfeitamos o nosso beijo enquanto caminha.
Não, são prosas!

Sem comentários:

Enviar um comentário