sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

O faz de conta e a extorsão dos méritos alheios

Conta-se que há alguns anos, e tantos que eu nunca presenciei tal situação; sempre que um toureiro muito famoso nascido na minha terra actuava na “nossa” Praça de Touros e era alvo de grandes ovações por parte do público pelo seu triunfo, o pai deste se levantava ao mesmo tempo nas bancadas e gritava em alto e bom som para os conterrâneos e forasteiros então ali presentes:
- Eu é que sou o pai do artista!
Por favor não se riam da criatura pois comportamentos iguais andam por aí aos bandos.
Pela segunda vez, e para meu contentamento muito particular pela justiça do reconhecimento, o Cristiano Ronaldo foi considerado o melhor jogador de futebol do mundo no ano de 2013, e não há quem nesta terra não se levante e não se ponha aos gritos a colar-se ao sucesso da criatura aproveitando para alimentar as suas “vaidadezinhas” muito particulares.
Ainda não perdi a esperança de espreitar na televisão a entrevista a uma empregada de padaria no Funchal que afirme que o sucesso do Ronaldo se deve à qualidade do Bolo do Caco que ela desde sempre forneceu à família Aveiro, amiga que é da D. Dolores.
Por favor, o Ronaldo é o melhor jogador do mundo porque é bom de bola e porque possivelmente treina e trabalha mais do que qualquer outro jogador do mundo.
Mérito dele, portanto.
E sorte a nossa porque ele joga pela Selecção Nacional e nos dá alegrias quando marca golos.
Nas honras a Eusébio por ocasião da sua morte, a mesma colagem inoportuna numa espécie de coabitação forçada por debaixo da coroa de louros dada por mérito à criatura, todos caindo na tentação de se afirmarem como essenciais ao pagamento prévio do “condomínio” no Panteão de Santa Engrácia.
Toda a gente conhecia o Eusébio, todos viveram com ele situações muito particulares e o admiravam muito…
Pedro Santana Lopes ajoelhado aos pés da urna de Eusébio esteve ao seu melhor nível, colocando-se numa situação que compete em ridículo com a “confissão” de ter ido assistir aos concertos para violino de Chopin, na altura em que era Secretário de Estado da Cultura.
Em 1991 na altura da reeleição de Mário Soares também ficou célebre o “acotovelamento” provocado por Jorge Sampaio que semeou nódoas negras nos membros do MASP para aparecer a uma janela do Saldanha ao lado do candidato vencedor com um número record de votos, e fazer assim uma boa acção de campanha para as legislativas do mesmo ano, as quais viria a perder.
E a propósito de Soares, desconhecemos ainda o que ele acha de Ronaldo relativamente à cultura e aos hábitos etílicos, mas a avaliar pelos discos lançados pela Cátia Aveiro, está bem de ver o que Sua Excelência dirá do “petiz”.
O que é demasiado triste em tudo isto, é que enquanto nos envolvemos neste “foguetório” todo e gastamos as energias apenas para trepar para os altares onde colocamos os nossos egos balofos, ficamos demasiado “encandeados” e perdemos a lucidez para tomar as opções correctas e fazer o país avançar um pouco mais.
Hoje na Assembleia da Republica durante uma votação cretina que desrespeita a própria Assembleia pois “cospe” sobre uma legítima votação anterior, uma senhora e muito mediática deputada afirmou que não votava segundo a sua consciência mas apenas por respeito à “disciplina” que o partido lhe merece.
É o assumir do faz de conta.
Nas vitórias e nas honrarias estamos lá, e nos assuntos difíceis… teve que ser assim.
Eu nem queria, mas… 

1 comentário: