domingo, 7 de setembro de 2014

(Sem título)

Conhecedora deste intercâmbio permanente entre Céu e Terra, uma das estrelas mais brilhantes do firmamento, e que se destacava de entre todas as que nos enchem as noites de infinitas e mágicas cores; andava há muito inquieta a olhar para a Terra e com uma enorme vontade de se tornar uma menina igual a tantas outras que habitam o Planeta Azul.
Confidenciou este propósito às estrelas vizinhas que de imediato lhe chamaram louca pela atracção por tal propósito.
- Tu vais deixar de ser uma das estrelas mais brilhantes... Não faças isso, estamos tão bem aqui em cima a ver tudo, e aquilo lá por baixo não parece andar muito bem.
E lembravam sempre:
- Para além de que o nosso pai não gosta que nos antecipemos às suas decisões.
Mas ela insistia:
- Eu quero ser uma menina como aquelas que eu aqui de cima vejo por ali a baloiçar, a mergulhar na água dos oceanos, a comer chocolate…
E tanto pensou e era tanta a força desta vontade que um dia foi mesmo falar com o pai de todas as estrelas e lhe confidenciou este desejo.
A princípio ele ficou triste com esta possibilidade de ir perder uma das suas estrelas mais reluzentes, mas prometeu ir pensar no caso.
- De aqui a uns dias mando-te chamar.
A estrela agradeceu, ficou esperançosa numa resposta positiva, mas ao mesmo tempo demasiado inquieta.
E se ele lhe dissesse que não.
Uma espera com dúvidas é sempre tão difícil.
E o tempo que parece uma eternidade…
Passou uma semana e o pai das estrelas chamou então a sua discípula de volta à sua presença.
Com um ar muito sério começou:
- Continuas com vontade de te tornar uma menina?
- Sim senhor.
Respondeu a estrela de imediato.
- Muito bem. Eu pensei no teu assunto e vou deixar-te ir.
A Estrela rasgou o sorriso mas ele continuou imperturbável:
- Vais, mas vais ter de prometer que não trairás nunca a condição de estrela. Porque uma estrela é sempre uma estrela. E todas as crianças são estrelas.
A Estrela sorriu feliz.
- Eu aceito.
- Mas há uma outra condição essencial que eu te imponho, já que tens tanta vontade de ir, terás de ficar por lá pelo menos cem anos.
- Eu aceito.
Respondeu novamente a estrela.
E depois de agradecer ao seu Pai, retirou-se e foi desde logo preparar as malas para fazer a viagem num destes dias.
A estrela está a preparar a bagagem, e este texto não tem nome porque as estrelas que habitam a Terra e a quem foi anunciada a chegada deste reluzente ser, ainda não decidiram que nome ele irá ter.
Por isso este texto aguarda e um dia terá esse nome feliz.

Sem comentários:

Enviar um comentário