sábado, 7 de fevereiro de 2015

Eu diria Desejo… muito mais do que outro nome qualquer


Uma mesa no canto mais discreto do bar
A música de Elis Regina
E estas noites em que só a cerveja parece matar-nos a sede

Como te chamas?

Eu diria Desejo
Muito mais do que outro nome qualquer

Digo-o abertamente…
E sem rede

E entre um gole de cerveja
Uma fava seca e salgada
Um amendoim...

As minhas mãos não se cansam de falar ti

Sei que será assim até de madrugada

Tocando-te rebeldes no final das nossas tardes de passeio
Elas conhecem-te bem melhor do que qualquer outra parte de mim

Agora fez-se silêncio
A cantora foi descansar
E a sede pede-me um gin

As minhas mãos
Donas do céu
Muito mais do que tudo o que vi...
Ou vejo

Vou continuar pelo bar
Acho que um sítio mais quente não se arranja

E quero continuar por aqui a pensar em ti
Meu querido Desejo  

Ah claro
E amanhã vou ter de acordar num sumo de laranja 

Sem comentários:

Enviar um comentário