terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Hoje eu sei que o teu amor semeou em mim um tesouro …


Os teus abraços têm o dom de me colocar irreversivelmente na rota do melhor sonho, aquele caminho onde as árvores, as flores e toda a gente, testemunham o sorriso de quem segue feliz, fazendo valer a pena o tempo que a vida lhe dá.
O sorriso e a música.
Por entre um céu que tempera de azul a água da generosidade das ribeiras e das fontes, os teus abraços e os teus beijos são o meu caminho e também o alimento e o condimento de que a alma precisa…
E por ti, eu gosto muito mais de mim.
Muito mais do que apenas gostar de alguém, o amor é gostarmos imensamente de nós próprios por entre o doce abraço desse alguém cujo nome só a alma nos segreda.
Hoje eu sei que o teu amor semeou em mim um tesouro, e nestes dias que cumprem o veloz ciclo do tempo, eu apago e pago todos os medos com essa riqueza que há tanto tempo esperava pelo toque de Midas dos teus abraços… e dos teus beijos.
Esperava por ti para a confiança que mata todas as máscaras na festa de ser eu, a festa de muito mais de três dias, a música que nunca cessa nas cinzas de uma qualquer quarta-feira.
Esperava por ti para a liberdade de poder voar por sobre o mundo, as máscaras e os falsos reis monos das carroças de todos os carnavais.
Esperava por ti…
Porque assim envoltos os dois neste amor profundo, nós sabemos que os dias, tal qual as árvores, as flores e as fontes do caminho, mesmo que tenham detalhes de inverno, têm a eterna essência da melhor e mais eterna primavera…
E da liberdade.

Sem comentários:

Enviar um comentário