terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Há dias que são intersecções de sonhos com a vida


O meu sobrinho Luís decidiu que as figuras do presépio estavam muito dispersas e resolveu agrupá-las todas na cabana, ao redor do Menino Jesus, afirmando:
- “Estão todos numa festa”
E as estradas, as veredas e o ribeiro ficaram disponíveis para os passeios dos seus carrinhos.
Com os restos dos fatos que costurou durante muitos anos, a minha mãe teceu uma colcha que pendurou à janela para saudar a imagem da Senhora da Conceição que passou em procissão. E a colcha que tem milhares de cores e tons acabou por ser um sucesso.
Na missa da tarde na igreja de Nossa Senhora estive ao lado do meu pai e na fila da comunhão cumprimentei com dois beijos a minha amiga Zézinha. O ano de 2014 não foi fácil para ambos mas termina com sorrisos. Os sorrisos mais apetitosos são estes que nascem das dores.
E hoje, quarta-feira dia 9, faz nove meses que um abraço começou a fazer de mim o homem mais feliz e amado do universo. Numa improvável tarde de uma primavera molhada.
Há dias que são intersecções de sonhos com a vida, dias que parecem não ser mais nada do que apenas dores e restos, mas que acabam por ser festas de sorrisos, festas ao redor de um Cristo que é Ele mesmo um sorriso.
E viver nada mais poderá ser do que acordar e acreditar que isso tudo poderá ser o dia para o qual se desperta.

Sem comentários:

Enviar um comentário