quinta-feira, 21 de maio de 2015

Eu sou o reflexo do teu amor sobre os meus dias


Ao cruzar a Ponte da Arrábida rumo ao sul, abdico da Foz e olho à esquerda, vendo de relance e enquanto conduzo, as curvas do abraço do Porto ao seu rio.
Há um deleite que se vê de ouro na cidade, tal qual nas águas que tão justo nome tomaram por baptismo.
E pressinto-te então comigo num abraço cúmplice deste e eterno como o Porto, a pátria do Amor de Perdição de Simão e Teresa... como de Camilo e Ana.
Não tardam cinco minutos e no bom dia que me mandas vem um "regaço de beijos de amor".
Não consigo deixar de sorrir fazendo-me à estrada rumo a Lisboa.
Sinto o vento a soprar forte e um tímido sol de primavera.
Muitos quilómetros à frente, um pouco depois de Santarém, uma ave de rapina cruza a auto-estrada em voo imponente. Vejo-lhe as asas e atento no reflexo gigante que as mesmas desenham sobre o asfalto à minha frente.
"Um regaço de beijos de amor"...
Eu sou o reflexo do teu amor sobre os meus dias.
E os meus sorrisos são as curvas deste abraço eterno e perfeito.

Sem comentários:

Enviar um comentário