sábado, 9 de maio de 2015

Há dias que sonhámos muito

Há dias que sonhámos muito, amanheceres que são o cais da chegada de muitos passos, os dias para onde empurrámos o tempo por força da nossa mais imperiosa vontade.

Hoje acordo com a sensação de que conheço muito bem a brisa, a cor e todos os detalhes desta manhã. 

Tenho sobre a minha mesa um livro com palavras e imagens, "Nós" tecido nas horas em que Lisboa foi a casa de um afecto que juntou letras e instantes no privilégio de ter o Ângelo comigo.

A vida e a poesia que a celebra e que se solta por tantas e diferentes janelas.

Hoje iremos ao Chiado ter com os amigos para partilharmos a festa deste encontro, a mesma rua onde tantas palavras se soltaram... e de onde colhemos infinitas imagens.

E eu conheço bem esta manhã porque fomos nós que a inventámos.

Há dias bons... 

Até logo.

Sem comentários:

Enviar um comentário