quinta-feira, 28 de maio de 2015

QUINTA-FEIRA


Já hoje é Quinta-feira e ainda descubro entre os dedos muitos dos beijos da tua pele na magia do nosso domingo à tarde.
As mãos imitam-me o pensamento, essa morada das tuas muitas palavras que vão espreitando à janela no decurso das horas.
E o meu pensamento leu-te em tudo; nos lábios, na poesia que transpareceu do teu olhar e até nos silêncios de onde emerge sempre a paz que respiras e expiras... um canto perfeito.
O eléctrico subiu a colina por entre as casas de portas garridas e sardinheiras à janela. Tu ias sentado à minha frente.
Quando de repente, o dobrar de uma esquina cumpriu o sonho do sol e ele te iluminou a face, recordo-me de pensar nesse instante que ser feliz não pode ser mais nada para além de ti.
E guardei então mais um milhão de palavras tuas no pensamento.
Palavras eternas que mesmo que espreitem e se debrucem à janela viverão sempre comigo de domingo a Quinta-feira, de domingo e até todos os dias...
Queira o futuro ou não queira.

Sem comentários:

Enviar um comentário