segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Uma carta de amor

Meu amor,
Nem as estradas de sempre conseguem ser velhas quando como hoje me oferecem um caminho novo: vou ter contigo.
E a rota banal de tantos dias, traçada entre sobro e olivais, tem nesta tarde, e por ti, as virtudes do cumprir de um destino.
Tudo faz sentido.
Se na vida há sempre um primeiro amor, eu hoje sei que tu és o meu último e definitivo amor.
Cheguei.
Tudo o de antes ganhou estatuto de irrelevante e o depois deste amor não existe. Por ser tão grande e tão justo para com os meus maiores sonhos, este amor é a própria eternidade.
Todos os meus passos, toda a minha história, foram para chegar aqui a este abraço.
E se eu pudesse, mil anos viveria contigo.
Enquanto espero que chegues e me sento à sombra de uma árvore num banco no Camões, olho em volta para as casas e a luz do Chiado, palpo no peito esta certeza de que tu vens, e consigo sentir uma estranha saudade deste momento que é em tudo perfeito.
É a este momento que eu quero voltar sempre tal como Sophia o faz nas tardes junto ao mar.
E depois tu chegas, dás-me um abraço, caminhamos lado a lado em direcção ao rio, e o Tejo faz-se um lago em 180 graus de azul.
Enquanto toda a gente brinca com as margens, enquanto os cacilheiros cumprem a sua sina e ligam norte e sul, nós vamos tecendo a tarde de palavras, de beijos secretos soltos pelos nossos olhares enamorados.
E as minhas mãos que há milénios esperavam pelo toque assim perfeito das tuas…
Ao chegar o instante mágico do pôr-do-sol sabemos que já dissemos infinitas vezes a palavra amor, mas muito poucas vezes para a paz que sentimos neste entrelaçar das nossas duas almas que se desejam e que por isso se fazem uma só.
Meu amor…
Nunca as estradas serão velhas quando percorridas para chegar a ti; e as cartas de amor jamais serão banais, sendo eternas bebendo das palavras deste sentir que não tem fim.
Toda a noite sonhei contigo, toda a noite senti o teu cheiro, o calor do teu abraço, a vida toda que se solta dos teus beijos...
Sim, sou teu.
Serei sempre.
Sinto-o mais do que nunca nesta madrugada que é prefácio de uma vida inteira que espera as minhas palavras e os teus traços.
E por isso te escrevo e te mando um beijo.
Teu eternamente,
FC   

Sem comentários:

Enviar um comentário