domingo, 19 de abril de 2015

Empresta-me o teu olhar, esta tarde eu quero ver Lisboa vestida de primavera


Empresta-me o teu olhar, esta tarde eu quero ver Lisboa vestida de primavera.
Oferece-me casa e repouso num abraço, e deixa que eu escancare as janelas quando as minhas mãos se sentarem pelos parapeitos doces da tua pele.
Janelas com vista para o rio e abertas a todos os sentidos.
Esses parapeitos que tu sabes serem mote do meu desejo.
Coze os meus passos aos teus com linha tom de azul de infinito e eternidade, e trepemos juntos as colinas enfeitando-as de beijos, semeando palavras de amor que florirão por entre as sardinheiras e os jacarandás.
Empresta-me o teu olhar...
Preciso que ele veja e confirme ao meu como são perfeitos os dias alinhados com o sonho.
Nunca nada expressará tanta verdade de nós quanto aquilo que sonhamos.
E há tantos anos que eu esperava por ti para uma tarde em Lisboa, só nossa, um recanto da primavera que usamos para namorar.

Sem comentários:

Enviar um comentário