quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Nestes dias de açúcar…



Nestes dias de açúcar nascidos de namorar contigo, todas as nuvens sucumbem ao nosso alado querer, como o rasgar fácil de um muito frágil, velho e usado véu.
Há uma incansável poesia a calar as sombras, a revestir-nos todos os segundos…
E os beijos são mestres de instantes de um perfeito abrigo, a casa onde os sentidos se enfeitam de variantes de azul, na cumplicidade que confunde aquilo que é nosso e da Terra, com aquele sentir suave e doce onde tudo parece acontecer a nosso jeito, e que a fé nos diz só poder existir no céu.

Sem comentários:

Enviar um comentário