sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Benefícios de um poeta em contramão na madrugada de um dia em que não te verei


O drama do poeta é o abismo imenso entre o amor que o tempo permite que vá sonhando e desenhando em si, e a realidade amarga das muitas noites em que só a almofada do outro lado da cama parece querer atenuar-lhe a solidão.
O benefício do poeta é o convívio tão próximo, despudorado e tão íntimo com este amor perfeito, que quando um dia ele finalmente chega e se concretiza dando nome e rosto ao outro lado da cama, não são necessárias averiguações extra ou mesmo quaisquer apresentações.
Chegou.
E os poemas são palavras que como coloridos pedaços de linha de seda preenchem o desenho dos dias passados quase sempre algures entre o drama e o usufruto do benefício, ao ritmo das vantagens de um e outro na expressão real do que é afinal viver.
O dia hoje amanheceu de chuva, mas por ti e apesar da saudade, eu não hesitei nunca em pintá-lo com as palavras que fui buscar ao recanto da minha paleta que tem as melhores e mais intensas cores.
Eu e o céu que tomou de mim a vontade e desenhou um arco-íris.
Benefícios de poeta na madrugada de um dia em que não te verei, mas um dia em que te sentirei aqui muito perto.
Por insistir e te querer assim…
Que os poetas não temem nunca assumir o seu amor perfeito e a contramão na hora de desrespeitar e matar a distância que é fruto da má sorte.

Sem comentários:

Enviar um comentário