quarta-feira, 30 de setembro de 2015

O céu é esse perfume


Não me peçam que ponha os pés no chão, os dois atados aos grilhões do bom senso e escravos cegos da razão.

Para onde eu vou é preciso ter asas, saber voar e não ter medo de às vezes seguir contra os ventos que sopram com a intensidade da voz tenebrosa dos adamastores.

O céu é esse perfume de fazer nossos todos os dias, e as asas, as minhas asas, tomo-as dos abraços que vivemos nas tardes junto ao mar...

Quando as gaivotas tomam de nós o exemplo, moldam a vontade e não se cansam de voar.

Sem comentários:

Enviar um comentário