quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Tudo


Um segundo de onde nada se espera traz-nos às vezes o céu e o infinito no discreto toque de um olhar.

Aprendemos a nunca desprezar um instante e a esperar tudo do tempo que o futuro nos reserva.

Quem sabe se há um "palácio" no virar da próxima esquina...

E o tempo pode ser tudo como nós somos tudo; ousados na intensidade com que vestimos um beijo e em simultâneo conservadores na perseverança de um querer que levaremos connosco pela eternidade.

Sentado no aeroporto à espera de um voo para Istambul, escrevo deixando-me levar pela saudade.

Da espera, e sobretudo por ti, nascem sempre palavras.

O tempo pode ser tudo, nós somos tudo, e até a velha Constantinopla é Europa e Ásia ao mesmo tempo.

Vou embarcar.





Sem comentários:

Enviar um comentário