terça-feira, 17 de novembro de 2015

E parece que ninguém se predispõe a aprender com a lua...

A onda de choque dos ataques terroristas de Paris preenche a Praça de São Pedro, em Roma, com um aparato policial imenso que contrasta em tudo com a paz da luz do entardecer.

No interior da Basílica cheira a incenso, soa o canto gregoriano de uma celebração junto ao altar mor, há gente ajoelhada nas capelas dos santos da sua devoção...

Sente-se a paz.

Mas para chegarmos aqui tivemos todos de passar a segurança muito apertada, e por estes dias muito atenta. O pórtico da segurança antes do pórtico da Glória e... pesquisa-se a guerra à porta das "casas de Deus" onde mora e onde nós vamos buscar a paz.

À saída, os nossos passos adornam lentamente as calçadas de  milénios e sobre as nossas cabeças os pinheiros brincam com o vento; o sol já se pôs definitivamente, deu lugar à lua de Roma que é igual à de Lisboa, à do mundo inteiro... e que hoje sorri.

A mesma lua e um só Deus...

Um homem oferece Terços a um Euro e "Selfie sticks" a dez. E o segundo item sai bem melhor que a "fila" de Padre nossos e ave Marias.

À saída das "casas de Deus", os Homens também pagam mais para se verem vaidosos com o mais possível de mundo ao redor do que para "levarem" Deus para lá da memória da sumptuosidade das catedrais.

À saída retomamos as "nossas guerras".

E serão estes dias o rasgar cruel de um poema de amor?

Parece que ninguém se predispõe a aprender com a lua...

Sem comentários:

Enviar um comentário