sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Quem quer aprender a voar e não tem um avião constrói um papagaio de papel...



Quem quer aprender a voar e não tem um avião constrói um papagaio de papel com canas cruzadas, cores garridas, uma cauda longa e solta, e lança-o depois num campo aberto para que as árvores não atrapalhem nunca a sua ousadia.
Quem quer sentir o mar e não o tem por perto sabe que o encontra no canto mais secreto e recôndito de um búzio.
Quem não sente a música nos seus dias compõe-na inspirado pelos gestos e pelas palavras que não desmentem a alma.
Quem quer pão planta trigo ou outro qualquer cereal, e aproveita o vento no alto de uma serra para mover a mó de um moinho.
Quem quer crescer aprende rapidamente que as pedras grandes que se lhe atravessam ao caminho são excelentes e informais degraus que acrescentam “altura”... à vida.
Suicida-se quem não cumpre a fidelidade a si mesmo na festa de ser autêntico.
A fraqueza não mora na derrota, tem domicílio no acto de desistir.

O meu pai faz hoje 75 anos.
Ensinou-me tudo isto.

Sem comentários:

Enviar um comentário