quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Há gestos que vagueiam órfãos pelas ruas imensas e íngremes das cidades...



Há gestos que vagueiam órfãos pelas ruas imensas e íngremes das cidades procurando outros gestos iguais para irem juntos rasgar os silêncios tristes, aqueles que ardem e pedem a Deus a bênção sublime de um beijo.
Não me recordo já de quantas cidades e ruas tinha eu de idade quando os meus gestos se entrelaçaram nos teus cumprindo o prenúncio que existe e que tomamos da luz suave e lenta de cada amanhecer.
Não importa a idade, importa apenas que o nosso silêncio morreu, e que até as fontes do Rossio jorraram palavras de amor sobre os cravos que por ali passavam em direcção ao rio em coro de liberdade.
E eu nasci nesse dia…
No teu beijo.   

Sem comentários:

Enviar um comentário