sábado, 21 de novembro de 2015

Os poetas apenas repousam por instantes nos abraços porque o seu destino é caminhar...


Tomo da noite os melhores presságios, e entre a brisa e o luar, eu não duvido, abraça-me a melhor sorte, um bom destino: o mar, quiçá todo o universo.
E nessa estrada onde os quilómetros são o próprio tempo, os impulsos e as minhas vontades; eu leio a parábola escrita nos meus passos, e o universo sou eu numa história de liberdade.
Atrás da casa onde pernoitamos julgando ter chegado, a madrugada revela quase sempre um novo troço que nos pede que caminhemos pelo dia fora sentindo o esplendor ocre e azul das flores do campo.
Porque será sempre primavera.
Os poetas apenas repousam por instantes nos abraços porque o seu destino é caminhar.
Para onde?
Pouco importa.
Seguimos a rota que o sol destapa em cada dia cumprindo o presságio de luz que a noite tem inscrita no luar.

Sem comentários:

Enviar um comentário